O sucesso é limitado pelo seu DNA?

Dez 26, 2013

No início do Séc. XX existia um mito que limitava o potencial de muitos profissionais: o de que o ADN condicionava aquilo que a pessoa poderia ser. Se você viesse de uma família com muito dinheiro e bem sucedida, teria um bom ADN e mais facilmente alcançaria o sucesso. Se por outro lado, os seus pais fossem pobres e sem conhecimentos, estaria condenado a uma vida de trabalho árduo e de pouco sucesso.

Hoje em dia todos nós sabemos que isso é um mito. Porém, é incrível como muitos líderes e vendedores continuam a pensar que tudo aquilo que aconteceu no passado influencia o seu futuro, sem que eles possam fazer nada para modificar isso. Frases como “nunca ninguém me ensinou a fazer isso” ou “nunca fui bem sucedido nisso não vou tentar mais” são muito comuns. Isso significa que, apesar de estar descredibilizado, este mito ainda funciona de uma forma indireta na mente de muitos profissionais.

Para quebrar de uma vez por todas com esse paradigma, vejamos aqui exemplos de profissionais bem sucedidos que “contornaram” o seu ADN:

  • Benjamin Franklin era o 15º filho de 20 irmãos e estudou apenas até aos 10 anos
  • O pai de Ralph Lauren pintava casas
  • Steve Jobs foi criado por duas pessoas que não eram os seus pais biológicos
  • Sara Blakely, fundadora da Spanx e agora bilionária, tentou ser advogada mas falhou no último teste por duas vezes
  • Mark Cuban, dono dos Dallas Mavericks, começou a trabalhar como barman e mais tarde foi despedido numa empresa de venda de software
  • O pai de Susie Orman era criador de galinhas e a sua mãe servia à mesa. Ela começou a trabalhar a servir às mesas
  • Tony Hawk tinha défice de atenção, hiperatividade e os psicólogos diziam que ele tinha vários distúrbios
  • Os pais de Daniel Oliveira, conceituado apresentador da SIC, eram toxicodependentes
  • Belmiro de Azevedo chumbou no 1º ano e durante o 6º ano trabalhou numa empresa têxtil ganhando 6.500 escudos por mês
  • Tony Carreira sempre sonhou em ser cantor mas esse sonho só foi realizado depois de emigrar para França, onde começou a cantar em clubes locais

Poderíamos aqui escrever várias linhas de texto dando mais exemplos tais como Roger Federer ou o próprio Cristiano Ronaldo.

O nosso objetivo com este tema e com estes exemplos foi demonstrar que, enquanto profissional, a sua situação atual é irrelevante. O mais importante é onde você quer estar. Utilize as suas limitações atuais como uma motivação para dar um passo em frente.

Boa semana,

Equipa

Equipa

Sucesso em Vendas

INTERESSADO EM MELHORAR AS SUAS VENDAS?

Preencha o formulário e a nossa equipa entrará em contacto.

0 Comments