Quer ter um 2015 em grande? Então inspire-se nos descobrimentos portugueses! (Vídeo)

Jan 1, 2015

Ter um ano em grande depende apenas de si. Definir objetivos, ter um plano de ação, como explicámos neste artigo, ou até mesmo adotar novos hábitos, são mudanças que estão apenas dependentes da sua força de vontade! Mas torna-se mais fácil fazer tudo isto quando existe alguém que nos possa inspirar!

E para 2015, trago-lhe uma proposta diferente. Ou melhor, trago-lhe uma fonte de inspiração diferente para este novo ano: os descobrimentos portugueses! Durante os descobrimentos, os navegadores portugueses tiveram a coragem, a bravura e a ousadia de partir para o desconhecido e conquistaram o mundo. Enquanto Líder ou Vendedor, para ter um 2015 em GRANDE, vai precisar de explorar estes 3 conceitos.

Sem eles, é muito provável que não consiga atingir todas as suas metas durante o próximo ano. E com um mercado tão desafiante, a falta de ousadia, bravura ou coragem, podem prejudicar a navegação da sua empresa! A pensar nisso, gravei um vídeo especialmente para si, fui ao ponto de partida dos descobrimentos.

Vamo-nos inspirar para 2015?

“Esta questão é, normalmente, colocada pelos líderes no último trimestre do ano: “Pedro, o que é que nós temos de fazer para definir bons objetivos de venda para a minha equipa no próximo ano?”. Então, em primeiro lugar, eu acho essa pergunta fantástica e que ela deve ser colocada com algum tempo de antecedência de forma a que nós estejamos conscientes de quais os indicadores que temos de analisar e de identificar

A primeira dica quando eu acredito que tenho de definir objetivos para a minha equipa, eu gosto de pensar em mercado. Devemos pensar na nossa empresa, nos produtos que temos e nas soluções que vendemos para chegar á conclusão de qual é que é o nosso mercado. Devemos ainda pensar qual é o nosso mercado atual e qual é o nosso mercado potencial e quantificar porque, para mim, meta é de acordo com o meu mercado, eu quero saber quantos consumidores e quantas empresas é que são meus clientes ou que podem vir a ser meus clientes e, com base nisso, ter um número. Então quando eu defino meta, é baseado um mercado: no mercado atual e naquilo que eu posso vender mais ou então no mercado potencial, que ainda não são meus clientes e que vão passar a ser a consumir produtos. A partir do momento em que identifico o meu mercado, eu tenho de pensar “De acordo com o meu mercado, quais são os recursos internos que tenho?” e aí passamos para a segunda dica.

Como segunda dica, falamos em equipa e podemos dividi-la em equipa humana e equipa não humana. Como equipa humana eu penso quais são os recursos internos a nível de todas as pessoas dentro da minha organização que são precisas para nós conseguirmos chegar às metas estabelecidas dentro do nosso mercado. Igualmente quando penso em equipa não humana é de acordo com a minha logística, capacidade de stock e todas as infraestruturas que eu decido ter na minha empresa para atingir certo mercado de acordo com o número.

A terceira dica que eu partilho convosco é pensar nos momentos S.O.S, situações em que por vezes eu posso não estar a atingir aquele número em determinado produto ou categoria e eu tenho logo de definir logo à partida o que é que vou fazer nessa situação para reagir rápido, para a minha equipa entender e para o meu mercado perceber que estou atento e que sou uma empresa de reação rápida, estou lá ao lado deles porque, para mim, objetivo é ponto de partida.”

Se gostou do vídeo, deixe um comentário aqui em baixo e conte-me como os descobrimentos podem inspirar a sua estratégia para 2015!

Bom ano novo! 

Pedro Ruivo

Pedro Ruivo

CSO – Crazy Sales Officer

INTERESSADO EM MELHORAR AS SUAS VENDAS?

Preencha o formulário e a nossa equipa entrará em contacto.

0 Comments